Colaboradores

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Caravana descobre riquezas de uma das cidades com Centro Histórico mais bem conservado do estado

Pequena em território e número de habitantes, mas gigante no quantitativo de bens patrimoniais conservados desde séculos passados. Assim se mantem São João do Cariri, com um casario em seu centro histórico de fazer brilhar os olhos e encantar quem visita o município.
Parece uma pintura o centro histórico da cidade
Chegamos à cidade e sentimos um clima, ritmo e atmosfera diferentes, percebemos que o passado se fazia muito presente. Mas o melhor foi vislumbrar que esta herança ainda tem muito futuro.
Antes mesmo de iniciar o minicurso patrimonial identificamos influência árabe na arquitetura e possibilidades também na culinária, quando do passeio para reconhecimento dos bens locais, fomos presenteados por Heryko Alves com uma preciosidade: o Doce Beira Seca. 
Um tesouro gastronômico feito com doce de gergelim e uma massa de trigo bem fininha em formato de pastel, uma delícia!


Provando o doce beira seca
Na sexta (14/09) levamos os doces para servir de exemplo vivo da riqueza cultural local aos jovens e adultos participantes do minicurso patrimonial. E foi só sucesso. Após a aula alguns alunos nos levaram a conhecer outra riqueza - pela ponte sobre o Rio Taperoá chegamos ao cruzeiro local de onde avistamos o belo pôr do sol do cariri paraibano.
No sábado (15/09) saímos para pesquisa de campo e visitamos um museu de antiguidades que funciona no antigo prédio do mercado público, depois fomos à área do Geoparque Cariri Paraibano para visualizar a Muralha do Fim do Mundo, formação rochosa natural que percorre a região até o Rio Grande do Norte.
Às margens do Rio Taperoá
Por fim, nosso guia cultural e multi artista - Francisco Almeida (Chicão), nos apresentou seu trabalho em cordéis, esculturas, fotografias e projeto de instalação de espaço cultural. Muita beleza e talento reunidos em seu ateliê.
A tarde caiu e iniciamos a montagem para o espetáculo. O público se aproxima de noite e damos início ao 'Tem Boi no Algodão'. Foi pura magia e diversão. A população interagiu bastante e ao final foi muito gratificante ouvir: "hoje eu ri tanto que valeu por cinco meses de alegria"!
Espetáculo pra aquecer a noite do cariri com muita alegria
A Caravana Patrimônio Nosso tem ações culturais desenvolvidas pela Cia Boca de Cena em parceria com o IPHAEP e contou com apoio cultural da Prefeitura Municipal de São João do Cariri.
O projeto segue seu rumo e volta ao sertão no final deste mês. Aguarde que tem muita riqueza do patrimônio cultural artístico e histórico da Paraíba para mostrar.









terça-feira, 28 de agosto de 2018

Caravana Patrimônio Nosso dissemina a educação patrimonial pelo sertão paraibano

Parte da marcante história da Paraíba se deu no território do próximo município a ser contemplado com a passagem da Caravana Ariano Suassuna Patrimônio Nosso. E com certeza, fruto de um período próspero, vários patrimônios resistem ao tempo e servem de testemunhos para as gerações atuais.
Iremos conferir de perto o centro histórico e patrimônios imateriais de Princesa Isabel, além de tratar sobre as questões de sua preservação durante minicurso patrimonial que ocorrerá na sexta-feira (31/08) aberto aos interessados pela temática e com inscrições prévias realizadas na Diretoria Municipal de Cultura.
O minicurso oferta a rica experiência de troca de saberes e repasse de informações primordiais para o exercício da educação patrimonial no município com direito a certificação de participação e sorteio de kit educativo ao final.
Exposição sobre os brincantes populares de babau da PB
Desde o mês de julho que sentimos o calor do público sertanejo e, desda vez, muito provavelmente não será diferente. A noite do sábado (01/09) será dedicada à apresentação da Cia Boca de Cena que levará à praça pública o espetáculo 'Tem Boi no Algodão' de forma gratuita para toda a população.
Este é o segundo momento do projeto que reserva um espaço para que o patrimônio que é o teatro de bonecos popular apresente a riqueza dos bens materiais e trate da importância da perpetuação dos imateriais para a geração atual a fim de que seu legado sirva às gerações futuras.
E o que esperar do sábado à noite? - O patrimônio falando dele mesmo em sua forma peculiar de entretenimento, cultura popular e linguagem acessível a todas as faixas etárias. Esperamos a todos na Rua da Igreja Matriz às 20:00 horas.
O projeto possui ações culturais desenvolvidas pela Cia Boca de Cena em parceria com o IPHAEP e apoio cultural da Prefeitura Municipal de Princesa Isabel.

Agendem-se
Apresentação da Cia Boca de Cena em praça pública

terça-feira, 7 de agosto de 2018

A Caravana registrou a luta do povo são-joanense pela manutenção e preservação do seu patrimônio

Um dos pressupostos para a coexistência dos patrimônios culturais diante da contemporaneidade é que as comunidades se identifiquem com eles e os reconheçam a fim de gerarem o sentimento de pertencimento e, a partir daí, formarem uma consciência preservacionista para as atuais e futuras gerações.
Desde o início das ações em São João do Rio do Peixe na sexta-feira (03/08) pudemos perceber iniciativas de participantes do minicurso patrimonial em lutar para manter o patrimônio do município vivo e atuante. Isso nos deixou emocionados e, quando pudemos vivenciá-los de perto durante pesquisa de campo, ficamos encantados.
Certificação dos participantes do minicurso patrimonial
Professores como Wlisses Estrela e Edilson Tomaz, além do escritor Rogério Galvão são autores de publicações que remontam a história e culturas da cidade, inclusive este último concorreu ao prêmio Rodrigo Franco de Melo do IPHAN em 2017 pela obra "São João do Rio do Peixe - Retratos de Uma História".
Foi interessante ver que a iniciativa popular está gerando bons frutos, como no caso da 'Campanha Salve a Estação' que arrecada fundos e gera parcerias para a restauração da antiga estação ferroviária municipal, da qual idealizadores do projeto pretendem transformar em importante centro sócio-cultural local. A continuação das obras para essa grande transformação caminha sob orientação dos órgãos de fiscalização e também de sua contribuição, colabore!

Ainda no sábado (04/08) pela manhã, tivemos o privilégio de visitar espaços como o Museu Otácia Rocha, cujo 'herdeiro' - Joãozinho, se dedica a manter mobiliário, artefatos, documentos e objetos antigos que remontam à história de gerações familiares intimamente ligados ao município. Lindo de se ver!
Equipe da Cia com Prof Wlisses e Joãozinho
Depois, fomos ao Parque Cultural O Rei do Baião na zona rural da cidade, de onde sentimos profunda admiração pelo incrível Chico Cardoso - escritor e idealizador deste rico espaço que, no alto dos seus mais de 70 anos, luta pela manutenção dos cenários que elencam obras de personalidades artísticas e políticas, além de novas edições do Festival de Músicas Gonzagueanas (FESMUZA) que, infelizmente, passam por crise de manutenção.
Vida e luta dedicados à cultura popular - Sr Chico Cardoso
Retornamos com todo o gás para o centro da cidade, quando no fim da tarde iniciamos o processo de montagem para apresentação do espetáculo Tem Boi no Algodão. A ansiedade foi sentida por nossa equipe, pois horas antes do início da atividade, a criançada não arredava o pé da praça e contava as horas para vivenciar o babau.
Como desde a chegada da Cia, fomos abraçados e muito bem recepcionados pelo povo são-joanense. A praça lotou e ferveu com a interatividade e alegria da população que nos deu o imenso prazer de, até agora, ser o maior público já registrado pelos nove municípios onde o projeto passou.
Público enorme e lindo de viver
O carinho e sede de cultura popular demonstrado a nós pelo povo ao final da noite só nos encheu de satisfação e ânimo, apesar de muito cansaço. Renovados fomos por bons exemplos e efervescência da gente desse lugar.
Nosso muuuuuuuuuuuito obrigado aos parceiros e apoiadores dessa experiência: professores, gestores e Secretarias Municipais de Educação e Cultura. O projeto continua com ações culturais realizadas pela Cia Boca de Cena em parceria com IPHAEP, nossa próxima parada será em Princesa Isabel, aguardem!


Professores agraciados com kit patrimonial e livro

Depoimento emocionado da filha do mestre Moisés

Acervo riquíssimo no Museu Otácia Rocha

Capela linda no Parque Cultural O Rei do Baião

Praça lotada por um público maravilhoso

Cia junto à equipe municipal da educação e cultura

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Para além dos dinossauros, Sousa possui riquezas e patrimônios imensuráveis

Na sexta-feira (20/07) iniciamos as ações da Caravana Patrimônio Nosso na cidade de Sousa quando conhecemos de perto educadores, gestores públicos e profissionais preocupados e engajados na preservação do patrimônio cultural local.
O minicurso teve participação expressiva. Durante toda a troca de saberes houve muitos relatos e reconhecimento das riquezas patrimoniais do município através da natureza, elementos artísticos e arquitetônicos.
Interatividade e relatos mil durante minicurso patrimonial
Mas o minicurso também serviu para identificarmos atitudes errôneas e irregulares de lidar com essas riquezas patrimoniais  de valor incomensurável que causaram danos, perdas e deterioração irreversíveis de alguns bens materiais do município.
A sensibilização dos olhares para com a grandeza dos elementos locais, além do compartilhamento de informações e fatos foram estimulantes durante a ação.
Pudemos saber do portão de entrada do cemitério municipal que foi um presente de Dom Pedro II durante sua passagem pela cidade, além da hipótese de queda de meteoro transformando a área de vale em planície e extinguindo os dinossauros.
Incrivelmente bem preservado este portal da época colonial
Após um belo dia de atividades, prestamos entrevista à rádio Líder FM e nos preparamos para visita de reconhecimento de alguns patrimônios de Sousa na manhã seguinte, quando visitamos cemitério, antiga estação ferroviária, praças e igrejas.
Na tarde do sábado (21/07) nos deslocamos para a frente da Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios onde iniciamos a montagem para apresentação do espetáculo 'Tem Boi no Algodão'.
Patrimônios material e imaterial em praça pública
Na mesma praça fica a secular Igreja do Rosário dos Pretos, tombada e repleta de elementos que referenciam a atuação da irmandade dos homens pretos na cidade, como relíquias de pinturas nas laterais do altar. Beleza ímpar à qual desejamos que em breve passe por um processo de restauro a fim de resgatar a história e memória da população local.
Relíquias incríveis em pinturas no interior da Igreja do Rosário dos Pretos
A noite caiu, a missa acabou e iniciamos a apresentação. Em pouco tempo notamos que as duzentas cadeiras colocadas à disposição do público eram poucas. A praça se encheu de alegria e sorrisos, um belo final de passagem pelo município que muito bem nos acolheu e cativou.
Esperamos que as ações desenvolvidas tenham formado multiplicadores e ampliado suas visões para a preservação e conservação do rico patrimônio sousense.
Praça lotada para assistir a apresentação da Cia Boca de Cena
No mais, agradecemos aos professores, gestores municipais, profissionais, amigos e à população de Sousa pela acolhida. Este projeto tem ações culturais desenvolvidas pela Cia Boca de Cena e contou com apoio cultural da Prefeitura Municipal de Sousa.
A Caravana Ariano Suassuna Patrimônio Nosso prossegue pelas microrregiões do cariri e sertão paraibanos. Nossa próxima parada será em São João do Rio do Peixe no início de agosto, aguardem!
Debatendo sobre patrimônio material

Esculturas com espécies de diferentes dinossauros espalhadas pelos quatro cantos da cidade

Durante a dinâmica da mala da memória sobre patrimônio imaterial

Fala de Cassandra Figueiredo sobre a importância da preservação

Certificação dos participantes do minicurso patrimonial

Agradecimentos da equipe Boca de Cena ao público local

terça-feira, 17 de julho de 2018

E a cidade sorriso do sertão paraibano se prepara para dar boas risadas com a Cia Boca de Cena

A Caravana Patrimônio Nosso chegará este final de semana em Sousa que, além de ser reconhecida por seu importante patrimônio natural (através de vestígios arqueológicos no Vale dos Dinossauros), também é referenciada como a cidade sorriso do sertão paraibano.
Além disto, o município é detentor de centro histórico tombado, ricos casarios e igrejas de séculos passados que figuram como patrimônios culturais do estado.
Agenda aí a programação do projeto em seu município!
Abordaremos toda essa riqueza e variedade na sexta-feira (20/07) durante minicurso patrimonial sobre bens materiais e imateriais que ocorrerá nos turnos da manhã e tarde na Secretaria Municipal de Educação.
As inscrições podem ser feitas previamente na Fundação Municipal de Cultura de Sousa. A ação é voltada para todos os interessados na temática e, principalmente, aos educadores que figuram como importantes multiplicadores das noções de conservação e preservação para as atuais e futuras gerações.
Seja você gestor público, agente cultural, artista, artesão, estudante de graduação (História, Geografia, Artes, Pedagogia, Arquitetura, Design, etc.) ou cidadão comum, eis uma ótima oportunidade de conhecer mais a fundo sobre os patrimônios de seu município, como também aprimorar seu ponto de vista preservacionista.
Todos os participantes terão direito a certificação, acesso a material didático e poderão concorrer a sorteio de kit patrimonial ao final da atividade.
Rosinha e Benedito animando o povão!
Na noite do sábado (21/07), a população em geral terá acesso ao espetáculo 'Tem Boi no Algodão' com a Cia Boca de Cena, para dar boas risadas com os bonecos em ação, falando de maneira lúdica e graciosa sobre a importância de preservar nosso patrimônio.
A apresentação ocorrerá às 19:30h ao lado da Igreja do Rosário dos Pretos de forma gratuita para sacudir a cidade com o que há de melhor no teatro de bonecos popular da Paraíba - nosso patrimônio cultural chamado BABAU.
Este projeto possui ações culturais desenvolvidas pela Cia Boca de Cena e conta com apoio cultural da Prefeitura Municipal de Sousa.
Vamos fazer jus ao título popular de cidade sorriso e perceber que parte dessa alegria também vem da manutenção dos patrimônios populares vivos em nossa sociedade.
Minicurso Patrimonial

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Em Cajazeiras a juventude se interessa sim pelo patrimônio de sua cidade

Ao adentrarmos ao casarão tombado onde funciona a Secult de Cajazeiras, nos deparamos com uma turma jovem e praticante de balé da cidade que, recém concluintes do ensino médio, demonstraram interesse em participar do minicurso patrimonial oferecido pela Caravana Patrimônio Nosso. Além destes, também marcaram presença estudantes de história e arquitetura, pedagogo e gestão pública.
Durante minicurso com jovens do município
Assim iniciamos as ações durante todo o dia do sábado (07/07), quando no intervalo do minicurso resolvemos aproveitar o pouco tempo para conhecer o Teatro Íracles Brocos Pires - ICA, novinho em folha após anos de reforma.
Lá dentro, grata foi a surpresa. Preparando-se para apresentar o espetáculo 'As Jurássicas' da Cia Produções Independentes de Teatro de Sousa-PB, estava o elenco e, dentre eles, o ator Valber Matos que gravou depoimento para a pesquisa sobre teatro de bonecos na Paraíba aos integrantes da Cia Boca de Cena.
Entrevista com Valber Matos no Teatro ICA
Ele nos relatou que teve experiência com teatro de bonecos nas décadas de 80 e 90 com a diretora de teatro para crianças, formadora de atores e também bonequeira Lourdes Capozzoli de Campina Grande, cujo boneco mais famoso foi o Milharildo - garoto propaganda do conhecido 'Maior São João do Mundo' na cidade.
Quanto mais andamos, mais histórias e relatos surgem sobre a arte bonequeira paraibana e isso só renova nosso interesse e encantamento por esta arte.
Durante a montagem para o espetáculo, um pôr do sol espetacular como só o sertão nos promove deixou cair a noite, quando antes do espetáculo da Cia Boca de Cena, houve a apresentação da Banda Marcial Santa Cecília sob a regência do Maestro Dedé  que atraiu e animou a platéia na quadra.
Montagem do espetáculo ao pôr do sol
Parte do público que já conhecia a Cia por sua passagem no município em 2015 aguardava ansioso e se esbaldou com as travessuras do Benedito e de Rosinha durante as passagens do 'Tem Boi no Algodão'.
Banda Marcial se apresenta antes do espetáculo
Como fruto das ações do projeto pela cidade, a Diretora do IPHAEP - Cassandra Figueiredo e o Secretário de Cultura Municipal - Ubiratan de Assis (Bira), traçaram negociações para futuras atividades de produção de inventário do patrimônio de Cajazeiras, um pontapé inicial para a difusão dos bens e promoção de sua preservação.
Este projeto é uma realização do IPHAEP com ações culturais desenvolvidas pela Cia Boca de Cena e contou com apoio cultural da Prefeitura Municipal de Cajazeiras.
Boneco João Redondo abusando todo mundo
Seguiremos desvendando os patrimônios do sertão com parada em Sousa nos dias 20 e 21 deste mês. Aguardem os detalhes em breve!

terça-feira, 3 de julho de 2018

Caravana segue rumo ao cariri e sertão paraibanos

Após percorrer seis municípios do estado (Alagoa Grande, Bananeiras, Remígio, Pilar, Mamanguape e Rio Tinto), a equipe da Caravana Ariano Suassuna Patrimônio Nosso se prepara para conhecer os patrimônios de cidades localizadas no sertão paraibano.
Retomaremos os trabalhos de educação patrimonial e apresentação de espetáculos por mais sete cidades detentoras de centros históricos tombados pelo IPHAEP. Passaremos pelo brejo, cariri e sertão, sendo a primeira parada em Cajazeiras: o sétimo município mais populoso do estado da Paraíba.
Anotem na agenda o calendário de programações pro próximo sábado
Dessa vez, todas as ações ocorrerão no mesmo dia: sábado 07/07. O minicurso sobre patrimônios culturais materiais e imateriais ocorrerá nos turnos da manhã e tarde no Casarão da Secult de Cajazeiras.
Poderão participar pessoas que fizerem inscrições antecipadas na Secretaria de Cultura Municipal. Todos os inscritos receberão certificados e concorrerão ao sorteio de um kit patrimonial.
Esta ação não tem contra-indicação! Todos os interessados pela temática podem participar: desde gestores públicos a agentes culturais, artistas locais, artesãos, empresários do ramo turístico e cultural, estudantes (de arquitetura, pedagogia, artes, história, geografia, etc.) como também educadores de todas as áreas de conhecimento e níveis escolares.
Bonecos interagindo no cenário durante espetáculo
A intenção é capacitar e incentivar profissionais, estudantes e quaisquer cidadãos a compreenderem melhor sobre os patrimônios, além de serem multiplicadores dos ideais de conservação e preservação dos bens de seus municípios.
Após o minicurso, no início da noite de sábado (às 19:30h), ocuparemos a Quadra do Leblom - ao lado do Casarão da Secult de Cajazeiras, para a apresentação do espetáculo 'Tem Boi No Algodão' com a Cia Boca de Cena.
Queremos lotar a praça de novo hein?
Este projeto é uma realização do IPHAEP com ações culturais desenvolvidas pela Cia Boca de Cena e contará com apoio cultural da Prefeitura Municipal de Cajazeiras.
Nosso registro do Mestre Joaci do cavalo marinho da cidade
E o mestre Xexéu do reisado? Será que deixou herdeiros na brincadeira?
Chegamos já já pra ver esse pôr do sol lindo na beira da lagoa!